(38) 3213.8975 | ibmontesinai@ibmontesinai.org.br | Fale conosco

O Verdadeiro sentido da Páscoa

abr 01, 2018 Comunicação Devocionais Nenhum comentário
Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Texto: Êx. 12. 1 – 28

Introdução – O que é a Páscoa?

A Páscoa (do hebraico Pessach, significando passagem através do grego Πάσχα) é um evento religioso cristão, normalmente considerado pelas igrejas ligadas a esta corrente religiosa como a maior e a mais importante festa da Cristandade. Na Páscoa os cristãos celebram a Ressurreição de Jesus Cristo depois da sua morte por crucificação.

Os eventos da Páscoa teriam ocorrido durante o Pessach, data em que os judeus comemoram a libertação e fuga de seu povo escravizado no Egito.

I – A PÁSCOA NO ANTIGO TESTAMENTO.

1 – Sua Instituição.

“Ora, o Senhor falou a Moisés e a Arão na terra do Egito, dizendo: Este mês será para vós o princípio dos meses; este vos será o primeiro dos meses  do ano. Falai a toda a congregação de Israel, dizendo: Ao décimo dia deste mês tomará cada um para si um cordeiro, segundo as casas dos pais, um cordeiro para cada família. Mas se a família for pequena demais para um cordeiro, tomá-lo-á juntamente com o vizinho mais próximo de sua casa, conforme o número de almas; conforme ao comer de cada um, fareis a conta para o cordeiro. O cordeiro, ou cabrito, será sem defeito, macho de um ano, o qual tomareis das ovelhas ou das cabras, e o guardareis até o décimo quarto dia deste mês; e toda a assembléia da congregação de Israel o matará à tardinha: Tomarão do sangue, e pô-lo-ão em ambos os umbrais e na verga da porta, nas casas em que o comerem. E naquela noite comerão a carne assada ao fogo, com pães asmos; com ervas amargosas a comerão. Não comereis dele cru, nem cozido em água, mas sim assado ao fogo; a sua cabeça com as suas pernas e com a sua fressura. Nada dele deixareis até pela manhã; mas o que dele ficar até pela manhã, queimá-lo-eis no fogo. Assim pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do Senhor.” (Êx. 12. 1-11)

Foi instituída pelo próprio SENHOR DEUS (YHWH – IAVÉ), para celebrar a saída do povo de ISRAEL da escravidão no Egito, ou seja, PÁSCOA tem um significado mais amplo e mais profundo que é LIBERTAÇÃO.

2 – Seu Significado no Antigo Testamento.

“Assim, pois o comereis: Os vossos lombos cingidos, os vossos sapatos nos pés, e o vosso cajado na mão; e o comereis apressadamente; esta é a páscoa do Senhor. Porque naquela noite passarei pela terra do Egito, e ferirei todos os primogênitos na terra do Egito, tanto dos homens como dos animais; e sobre todos os deuses do Egito executarei juízos; eu sou o Senhor. Mas o sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu o sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga para vos destruir, quando eu ferir a terra do Egito.” (Êx. 12. 11-13).

Deus ordenara a comemoração da LIBERTAÇÃO DO POVO DE ISRAEL. A PASSAGEM DO ANJO DA MORTE para àqueles que não tiverem a marca do sangue nos umbrais da porta. A PÁSCOA é uma marca do poderoso livramento do “GRANDE EU SOU” para o seu povo.

“E quando vossos filhos vos perguntarem: Que quereis dizer com este culto? Respondereis: Este é o sacrifício da páscoa do Senhor, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu os egípcios, e livrou as nossas casas. Então o povo inclinou-se e adorou.” (Êx. 12. 26-27).

3 – Um memorial para toda a história de ISRAEL.

“E este dia vos será por memorial, e celebrá-lo-eis por festa ao Senhor; através das vossas gerações o celebrareis por estatuto perpétuo.” (Êx. 12. 14)

Deus marca a história de ISRAEL e chama a atenção de todo povo para que em todas as gerações seja lembrado este grande milagre, celebrando a PÁSCOA.

II – A PÁSCOA E NOSSO SENHOR JESUS CRISTO.

Para nós cristãos, a Páscoa contém rico simbolismo profético a falar de JESUS CRISTO.

“Ninguém, pois, vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados, que são sombras das coisas vindouras; mas o corpo é de Cristo.” (Cl. 2. 16-17)

1 – O âmago da Páscoa era a Graça Salvadora de Deus.

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé, e isto não vem de vós, é dom de Deus; não vem das obras, para que ninguém se glorie. Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus antes preparou para que andássemos nelas.” (Ef. 2. 8-10)

2 – O propósito do sangue aplicado às vergas das portas era salvar da morte o filho primogênito de cada família, esse fato prenuncia o derramamento do sangue de Cristo.

“E quase todas as coisas, segundo a lei, se purificam com sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão.” (Hb. 9. 22)

 3 – O cordeiro pascoal era um “sacrifício” a servir de substituto do primogênito de cada família; isto prenuncia à morte de Cristo em substituição à morte do crente.

“Respondereis: Este é o sacrifício da páscoa do Senhor, que passou as casas dos filhos de Israel no Egito, quando feriu os egípcios, e livrou as nossas casas. Então o povo inclinou-se e adorou.” (Êx. 12. 27).

 “Expurgai o fermento velho, para que sejais massa nova, assim como sois sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado.” (1Co. 5. 7).

4 – O cordeiro macho separado para a morte tinha que ser “sem mácula”, esse fato prefigura a impecabilidade de Cristo, o perfeito Filho de Deus.

“O cordeiro, ou cabrito, será sem defeito, macho de um ano, o qual tomareis das ovelhas ou das cabras.” (Êx. 12.5)

 “Porque não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; porém um que, como nós, em tudo foi tentado, mas sem pecado.” (Hb. 4. 15)

5 – Alimentar-se do cordeiro representava a identificação do povo de Israel com a morte do cordeiro, morte esta que os salvou da morte física. Assim como no caso da Páscoa, somente o sacrifício, a morte dEle na cruz, foi um sacrifício eficaz. Realizamos em continuação a ceia do Senhor como um memorial.

“E, havendo dado graças, o partiu e disse: Isto é o meu corpo que é por vós; fazei isto em memória de mim.” (1Co. 11.24).

6 – A aspersão do sangue nas vergas das portas era efetuada com fé obediente, essa obediência pela fé resultou, então, em redenção mediante o sangue. A salvação mediante o sangue de Cristo se obtém somente através da “obediência da fé”.

“E foram os filhos de Israel, e fizeram isso; como o Senhor ordenara a Moisés e a Arão, assim fizeram.” (Êx. 12.28).

 “Tomarão do sangue, e pô-lo-ão em ambos os umbrais e na verga da porta, nas casas em que o comerem. Mas o sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; vendo eu o sangue, passarei por cima de vós, e não haverá entre vós praga para vos destruir, quando eu ferir a terra do Egito.” (Êx. 12. 7, 13).

7 – Pães asmos simbolizam separação entre os israelitas redimidos e o Egito, ou seja, o pecado. Semelhantemente o povo redimido por Deus é chamado para separar-se do mundo pecaminoso.

PÃES ASMOS = PÃO SEM FERMENTO.
FERMENTO NA BÍBLIA GERALMENTE SIMBOLIZA PECADO

“E Jesus ordenou-lhes, dizendo: Olhai, guardai-vos do fermento dos fariseus e do fermento de Herodes.” (Mc. 8. 15).

III – A ÚLTIMA PÁSCOA E A CEIA DO SENHOR.

1 – Jesus celebrou a última páscoa.

“Ora, no primeiro dia dos pães asmos, quando imolavam a páscoa, disseram-lhe seus discípulos: Aonde queres que vamos fazer os preparativos para comeres a páscoa?Enviou, pois, dois dos seus discípulos, e disse-lhes: Ide à cidade, e vos sairá ao encontro um homem levando um cântaro de água; segui-o; e, onde ele entrar, dizei ao dono da casa: O Mestre manda perguntar: Onde está o meu aposento em que hei de comer a páscoa com os meus discípulos? E ele vos mostrará um grande cenáculo mobiliado e pronto; aí fazei-nos os preparativos. Partindo, pois, os discípulos, foram à cidade, onde acharam tudo como ele lhes dissera, e prepararam a páscoa.” (Mc. 14. 12 – 16)

2 – Jesus instituiu a CEIA DO SENHOR.

“Enquanto comiam, Jesus tomou o pão e, abençoando-o, o partiu e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo. E tomando um cálice, rendeu graças e deu-lho, dizendo: Bebei dele todos; pois isto é o meu sangue, o sangue do pacto, o qual é derramado por muitos para remissão dos pecados. Mas digo-vos que desde agora não mais beberei deste fruto da videira até aquele dia em que convosco o beba novo, no reino de meu Pai.” (Mt. 26. 26-29)

3 – Um MEMORIAL para ser feito até que ELE volte.

“Porque todas as vezes que comerdes deste pão e beberdes do cálice estareis anunciando a morte do Senhor, até que ele venha.” (1Co. 11. 26).

CONCLUSÃO

Vamos a partir de hoje dar o devido valor para uma celebração tão importante que é a Páscoa, pois tudo que o Senhor fez foi para nossa SALVAÇÃO. Acima de tudo ELE nos deu o seu único filho, o SENHOR JESUS CRISTO, que é a nossa PÁSCOA.

“Expurgai o fermento velho, para que sejais massa nova, assim como sois sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, já foi sacrificado.” (1Co. 5. 7).

 

Pr. Rodrigo do Nascimento Holica
Bacharel em Teologia
Psicológo Clinico
Professor do STEBNM; MTC e SEBEMGE

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.